Como cultivar Samambaia - Nephrolepis Polypodium


9 milhões de anos atrás, samambaias enormes dominaram florestas imensas, muito antes de surgirem as plantas atuais. Elas não desenvolvem sementes, mas propagam-se através de esporos ou pela divisão de seus rizomas.
A maior parte dos gêneros utilizados em paisagismo são provenientes dos trópicos, destacando-se a Polypodiun e Platyccerium com diversos tamanhos e formas.
O nome samambaia é proveniente do tupi e significa "aquele que se torce em espiral". Seu habitat pode ser tanto um vaso de xaxim (ou fibra de coco) como o tronco de uma árvore, uma pedra ou mesmo o próprio solo ou a água, como as samambaias aquáticas. O sucesso no cultivo destas plantas depende da capacidade de reproduzirmos em casa as condições naturais em que estas vivem nas matas. A maior parte das espécies preferem ambientes sombreados. O vento é um dos seus maiores inimigos, causando "queima" das folhas mais jovens e perda de água por evaporação. Samambaias também não gostam de alterações de lugar, pois elas acostumam-se com a luminosidade, temperatura e umidade local, podendo definhar e até morrer caso sejam mudadas. Normalmente são cultivadas em xaxim (ou fibra de coco), que retêm mais a umidade e permitem que as raízes respirem melhor.
-->
Veja como ter samambaias sempre verdes e bonitas em vasos e como cuidar, como podar, como adubar e como molhar. As samambaias não gostam de sol forte. O ideal é manter o vaso em local iluminado que pegue um pouco de sol de manhã. Essas plantas também são muito sensíveis ao vento, particularmente a samambaia-de-metro.


Sombra e Brisa = Para sempre manter o vício da samambaia, mantenha a planta em local sombreado, longe do sol e dos ventos fortes, qua acabam queimando as folhsa mais jovens e desidratando-as, perdendo água por evaporação.
O vento é um dos maiores inimigos das samambaias, causando "queima" das folhas mais jovens e perda de água por evaporação.
Samambaias não gostam de alterações de lugar, pois elas acostumam-se com a luminosidade, temperatura e umidade local, podendo definhar e até morrer com as mudanças. Evite de ficar mudando a planta de lugar a menos que ela não esteja adaptada.

Regas = Água fresca- A rega deve ser constante e abundante, principalmente no verão.As samambaias adoram um banho de chuvisco sobre as folhagens na hora do calor mais forte, o importante mesmo é manter o substrato sempre úmido, msa com uma boa drenagem no vaso para não deixá-lo encharcado o que poderia causar apodrecimento da raiz. O segredo é nunca deixar o xaxim totalmente seco.
Mas no inverno, as regas diminuem.


Podas = Quando aparecem folhas amarelas, faça uma poda, abrindo espaço para as brotações. As mudas que surgirem da extensão do rizoma (caule subterrâneo) devem ser retiradas, evitando-se que a planta cresça demais e tenha que ser transplantada para um vaso maior. A renda-portuguesa e a samambaia-de-metro queimam com o frio; portanto, recomenda-se podá-las inteiramente antes de o inverno chegar ou deixá-las em local mais quente durante a estação fria. Depois, elas brotam vigorosas.

Adubação = No plantio, prepare o vaso com três partes de terra para uma de composto orgânico. A farinha de osso pode substituir a matéria orgânica.
Normalmente as samambaias são cultivadas em xaxins, que retêm mais a umidade e permitem que as raízes respirem melhor.
Atualmente, temos a opção dos vasos e placas feitos com fibra de coco – que substituem o xaxim, preservando a Dicksonia sellowianna, em vias de extinção.
Use a fibra de coco como substrato.
A adubação deve ser rica em nitrogênio, para isso aconselha-se o uso periódico de adubos solúveis, cerca 15 dias no verão e uma vez por mês. No mercado, existem vários fertilizantes específicos para samambaias.
A limpeza da planta é importante: aproveite para eliminar ramos secos ou doentes.

Pragas = Existem as lagartas que aparecerem lagartas que comem as folhas. É um problema comum que atinge as samambaias.Faça uma catação manual. Para combater os pulgões e ácaros é aconselhável o uso de inseticidas naturais, pulverize calda de fumo com sabão, essa calde deve ser borifada nas folhagens.

Mudas = A maneira mais fácil de fazer uma muda de samambaia é com parte do rizoma. Em algumas espécies, ele é um filamento, como ocorre nas samambaias-americana, de metro e rabo-de-peixe; em outras, parece o rabo de um bicho peludo. É o caso da mandaiana e das rendas portuguesa e francesa. No primeiro tipo, o rizoma lança novas mudas periodicamente (na rabo-de-peixe é mais raro). Quando isso acontece, retire a muda cuidadosamente, cortando as folhas grandes na metade e tomando cuidado para não danificar os brotos. A seguir, plante-a em outro vaso. Quando os rizomas são do segundo tipo, formam um emaranhado compacto. Para fazer a muda, corta-se um pedaço, de preferência que esteja com broto, espetando-o em um vaso com substrato. Sempre no verão é a melhor época para retirar mudas.

Crença popular:
Olho gordo = Além de todos esses cuidados, não dê chance para o azar. As samambaias são muito sensíveis ao mau-olhado. Os mais antigos dizem inclusive, que elas refletem as emoçoes de quem as cultivam.

-->Atenção: seguir apenas uma dessas recomendações não garante plantas saudáveis. Dedique-se mais às plantas no seu dia-a-dia, porque se cuidares com carinho e atenção, eu te garando que elas irão durar bonitas e saudáveis, muitos anos, falo isso pela minha experiência.

Obrigada pela sua visita. Se você tem sugestões ou dicas sobre o assunto, coloque aí nos comentários, eles podem acabar virando temas para novos posts. Aproveite e deixe seu e-mail, quem sabe poderei te ajudar?

8 comentários:

paula disse...

tenho 2 samambais lindas e outras plantas tambem adoro elas.
a dorei saber como cuidar das minhas samambaias tambem.obrigado.

dione caballero disse...

olá lendo o teu artigo adorei pois sou muito apaixonada por plantas
e quanto os pulgoes eu faço alho com agua e deixo curtir e pulvorizo 1x por semana já para evitar.
e quanto o olho gordo,sempre plkante um dentinho de alho junto no vaso,que não há olho que resista.
olha estas dicas não são brincadeiras não é serio um abraço.

Anônimo disse...

Olá,
obrigado pelos seus conselhos sobre os cuidados, mas eu gostaria de frisar sobre um inimigo mortal da samambaia, de acordo um grande conselho milenar asiático, o "vento", que o queima causando a morte instântanea, dependendo da quantidade da força do vento.

Anônimo disse...

Venho por meio deste, requerer a vossa atenção em relação ao cultivo de uma planta tão bela e que nos proporciona tanta alegria a despeito. Esta atenção deve ser direcionada para o fato de que o comentário acima cita uma verdade absoluta: AS SAMAMBAIS NÃO GOSTAM NEM NUNCA VÃO GOSTAR DE VENTO.

A minha samambaia,
De que tanto eu gostava,
Sofreu com o vento,
Explodiu no mesmo momento,

Nada pude fazer,
Vendo minha samambaia morrer,
De tanta tristeza e sofrimento,
Estou destruído por dentro,

Jamais terei outra samambaia,
Pois nada a substituirá,
Quero que um raio me parta,
Se a mentir eu estar.

Áurea Galvão disse...

Sou nova no ramo de cuidar de plantas e lendo seu artigo percebi que estou fazendo tudo errado (rsrsrs), mas agora vou fazer certinho pra deixar minha samambaia sempre linda, obrigada pela aula!!

scarmo disse...

Amo plantas,gostei muito das orientações.Pena que só resolvi pesquisar como cuidar de samambaias apos comprar vária para enfeitar um muro da minha casa.Como é um local que recebe pelo menos 3 h de sol diário tbem está sujeita a ventos...
abraços

scarmo disse...

Amo plantas,gostei muito das orientações.Pena que só resolvi pesquisar como cuidar de samambaias apos comprar vária para enfeitar um muro da minha casa.Como é um local que recebe pelo menos 3 h de sol diário tbem está sujeita a ventos...
abraços

Marceli disse...

Gostei das explicações, só acho que poderia ter umas ilustrações.