Cacto xique-xique (Pilosocereus gounellei)

Família: Cactaceae.

Nome Científico: Pilosocereus gounellei.

Nome comum: xique–xique.

Origem: Brasil (Nordeste) Bahia.

Multiplicação: sementes ou enraizamento de hastes.

O xique-xique é uma planta de fácil cultivo. Pode ser mantida em vasos ou plantada diretamente no solo.

Em ambientes internos regar uma vez por mês, utilizando meio litro de água para o vaso grande e ¼ de litro no vaso menor. Em ambientes externos e recebendo chuva não há necessidade de molhar. A natureza irá cuidar dele. Evite “prato” sob os vasos para não acumular água. Os cactos não toleram água acumulada.

O excesso de água é a principal causa do apodrecimento e morte dos cactos.

As flores são grandes, brancas ou branco esverdeado e se abrem à noite para serem polinizadas por insetos e aves noturnas. Florescem na primavera-verão. Produzem grande quantidade de néctar.

O xique-xique, juntamente com o cacto mandacaru, são os cactos mais típicos da “caatinga” do nordeste brasileiro. No norte da Bahia, à margem do Rio São Francisco, está a cidade de Xique-Xique, nome atribuído em homenagem a esta importante planta.

A cidade de Xique-Xique tem, aproximadamente, 45 mil habitantes, 170 anos de fundação e está distante 500 km de Salvador.

O cacto xique-xique tem importância fundamental no alimento de aves e animais, por fornecer frutos e hastes que são utilizadas na alimentação de animais de criação, como bois e cabras.

O fruto é comestível, saboroso. Da haste é feito um prato bastante comum na alimentação humana na região, chamado de “cortado de xique-xique”

O xique-xique contém aproximadamente 5% de proteína e rico em sais minerais.

O porte da planta quando plantada diretamente na terra pode chegar a 4 metros. Cultivada em vasos a altura irá depender do tamanho do vaso. O xique-xique apresenta a grande vantagem de poder ser conduzido dentro do tamanho desejado, fazendo-se podas com a retirada de ramos excedentes. Os ramos retirados podem ser replantados, criando nova planta.

A pesquisa está trabalhando no desenvolvimento de variedades visando maior aproveitamento da planta na alimentação animal e na busca por uma variedade sem espinhos, que existia na região

O Xique-Xique aparece com grande destaque nos filmes sobre o “cangaço”, envolvendo Lampião e Maria Bonita.

Necessitando de outras informações, queira nos consultar e nos visite novamente.


Fonte(s) : www.floresbela.com


Obrigada pela sua visita. Se você tem sugestões ou dicas sobre o assunto, coloque aí nos comentários, eles podem acabar virando temas para novos posts.

2 comentários:

FÉLIX disse...

Fiquei fascinado sobre as informações sobre o xiquexique ; eu já era fã do xiquexique , agora sou mais ainda .

Cordialmente ,

Félix Vasconcelos

FÉLIX disse...
Este comentário foi removido pelo autor.