O que são plantas bienais, anuais e perenes

Plantas bienais


As plantas bienais são aquelas cujo ciclo de crescimento - que se inicia com a semente passando pela planta vegetativa e pela planta florescente até, de novo, ao estádio de semente - se completa em duas estações de crescimento. Durante o primeiro ano o desenvolvimento das plantas bienais está, geralmente, limitado à fase vegetativa. A beterraba e a cenoura são plantas bienais que são aproveitadas no fim da sua primeira estação de crescimento.
Durante o segundo ano de vida, as plantas bienais, em geral, iniciam a sua fase reprodutiva.
No início desta fase os nutrientes e produtos fotossintetizados armazenados na raiz, e os que vão sendo produzidos nas folhas, são mobilizados para as novas formações. Durante este processo ocorre a floração, a frutificação e a formação de semente. Finalmente, ocorre a morte da planta.

Nas regiões temperadas, as plantas bienais, raramente se tornam lenhosas, embora possa ocorrer crescimento secundário, tanto no caule como na raiz.


Plantas anuais

Plantas anuais são tipos de plantas que normalmente germina, floresce e morre completando o seu ciclo de vida num ano ou menos como, por exemplo, o tomateiro e o manjerico. Geralmente iniciam o seu ciclo de vida na Primavera, passando a um período de crescimento vegetativo. Morrem quando atingem o auge do seu estádio reprodutivo, mas ficam as suas sementes, que darão origem a novas plantas.
As plantas anuais têm geralmente sementes muito pequenas, mas que estão adaptadas a germinar e crescer mesmo em maus solos.
Algumas plantas sem semente podem ser também consideradas anuais, ainda que não floresçam.
Alguns exemplos de ciclos de vida longos de plantas anuais incluem espécies de jardim como as ervilheira-de-cheiro, amor-perfeito, zínias, etc. Mesmo que, eventualmente, estas plantas não morram depois de produzir semente e possam viver longos períodos se forem defendidas do frio em estufas, são consideradas como tendo ciclos anuais.


Plantas perenes


As plantas perenes é a designação botânica dada às espécies vegetais cujo ciclo é longo. Vivem mais de dois anos e subdividem-se em dois grupos: herbáceas perenes, tais como muitas espécies de gramíneas, espargos, ruibarbo, flor-de-lis, etc., que não têm tecido lenhoso na sua constituição, e lenhosas perenes, que são caracterizadas por possuírem estruturas lenhosas e incluírem plantas sarmentosas como a videira, arbustos como o rododendro, azáleas, etc.

Há muitas mais espécies de ciclo anual ou perenes do que bienais.


Fonte: Revista Guia das plantas


Obrigada pela sua visita. Se você tem sugestões ou dicas sobre o assunto, coloque aí nos comentários, eles podem acabar virando temas para novos posts.

Nenhum comentário: