Ruélia-azul - Ruellia coerulea

Nome Científico: Ruellia coerulea

Sinonímia:
Ruellia brittoniana, Ruellia spectabilis, Ruellia angustifolia, Cryphiacanthus angustifolius, Ruellia tweediana, Ruellia simplex

Nome Popular:
Ruélia-azul

Família:
Acanthaceae

Divisão:
Angiospermae

Origem:
Paraguai, Argentina, Brasil e México

Ciclo de Vida:
Perene

A ruélia-azul é uma florífera herbácea muito versátil e rústica, de folhagem e florescimento decorativos. Possui ramagem ramificada e folhas lanceoladas, alongadas, opostas e uma coloração verde escura que, quando exposta ao sol direto, adquire uma tonalidade metálica muito bonita.

Seu porte natural é de cerca de 60 a 90 cm, mas não ultrapassa 25 cm nas variedades anãs. A floração ocorre na primavera e verão.

As inflorescências são terminais, com flores em forma de trompete, brancas, róseas ou de diversas tonalidades de azul, e muito atrativas para os beija-flores.

A ruélia-azul apresenta coloração e textura interessante para o paisagismo. Sua folhagem delicada e verde-escura, é o fundo perfeito para as flores azuladas. No jardim ela pode ser aproveitada em maciços e bordaduras, plantadas em canteiros ricos em matéria orgânica e mantidos úmidos.

É uma das poucas plantas floríferas apropriadas para a beira de laguinhos e tanques. As variedades anãs são ótimas para vasos e floreiras também, adornando assim varandas, pátios, sacadas e interiores bem iluminados.

Deve ser cultivada sob sol pleno ou meia-sombra, em diversos tipos de solo, enriquecidos com matéria orgânica e irrigados regularmente.

É bastante tolerante a encharcamentos e quando bem estabelecida, agüenta curtos períodos de estiagem. O beliscamento dos ponteiros, durante o crescimento da planta, estimula seu adensamento.

Após a primeira floração, ela poderá ser podada para estimular um novo florescimento. Fertilizações orgânicas leves, durante o período de crescimento e floração são suficientes para esta espécie.

Aprecia o calor e a umidade tropicais. Multiplica-se facilmente por sementes, divisão da planta ou estaquia. Devido à sua facilidade de propagação, pode se tornar invasiva em determinadas situações.



Qualquer dúvida comente e deixe seu e-mail para contato.
Suas dicas e sugestões, também serão muito bem vindas.
Obrigada.

2 comentários:

tchurma disse...

Olá, em primeiro lugar, adoro seu blogg. E em algumas dessas visitas, li que se deve fazer pinçamento e beliscamento das plantas para ajudar o desenvolvimento. Mas não sei exatamento o que é isso. Pode me explicar??? Obrigada

Sonia Oliveira disse...

Olá, boa noite!!

Obrigada por suas visitas ao blog.
O beliscamento, nada mais é do que cortar com as pontas dos dedos as pontinhas da planta, mas somente as pontinhas, isso fará com que novos brotinhos se desenvolvam e faz com a planta fique bem cheiinha.

Beijinhos.