Repolho-ornamental - Brassica oleraceae acephala

Repolho-ornamental, Brassica oleraceae acephala, , , Couve-ornamental

Nome Científico: Brassica oleraceae acephala
Nome Popular:
Repolho-ornamental
Família:
Brassicaceae
Divisão:
Angiospermae
Origem:
Mediterrâneo
Ciclo de Vida:
Bienal


Origem/História: Admite-se que o antepassado das brassicas tenha tido origem nas zonas costeiras da Europa e Mediterrâneo, tendo o processo de seleção que deu origem às couves repolho ocorrido nas regiões do Norte da Europa.

O repolho-ornamental é uma planta herbácea da espécie Brassica oleraceae, a mesma que couve, repolho, brócolis, couve-de-bruxelas e couve-flor. Ela pertence à variedade acephala, ou seja, não forma cabeça, da mesma forma que a couve-de-folhas, sua ancestral.

Ela é perene e apresenta o caule curto, com folhas dispostas em roseta densa e porte baixo, de cerca de 20 a 30 cm de altura. As folhas são grandes, arredondadas, cerosas, franjadas, com margens crespas, sendo que as mais externas são de cor ver-azulada e as do centro podem ser brancas, róseas ou roxas. As flores são pequenas e amarelas, dispostas em inflorescências do tipo rácimo, terminais e eretas, e de importância ornamental secundária. O fruto é do tipo síliqua.

O repolho-ornamental é uma folhagem muito decorativa, que pode ser cultivada em vasos e jardineiras, adornando interiores bem iluminados. No jardim, forma belas bordaduras ou conjuntos com outras plantas. Seu uso, no entanto é fenomenal em maciços densos no jardim, onde sua textura diferenciada e cores reinam maravilhosas. Curiosamente, esta couve não é apropriada para preparações culinárias, por apresentar folhas demasiadamente duras. Seu uso frequente em hortas tem função mais ornamental.

Deve ser cultivado sob sol pleno ou meia-sombra, em solo bem drenável, enriquecido com matéria orgânica e irrigado regularmente. Aprecia o frio de climas subtropicais e é resistente a geadas. É mais rústica que as couves comestíveis, não sendo exigente em fertilidade, mas se beneficia com adubações orgânicas, principalmente antes do plantio. Apesar de perene, necessita ser trocada dos canteiros em intervalos bienais ou anuais, pois perde a beleza com o tempo. Multiplica-se por sementes, postas a germinar no outono e inverno.

Cuidando com amor e carinho suas flores permanecerão belas e vistosas por muito mais tempo.



Fonte: Sites Variados

Obrigada pela sua visita. Se você tem sugestões ou dicas sobre o assunto, coloque aí nos comentários, eles acabam virando temas para novos posts.

Um comentário:

Vera Lucia Ayres disse...

Adquiri essa planta, conhecendo esse site é maravilhosa. Como devo proceder com os cuidados se moro em um apartamento e no inverno fica muito frio?
Com carinho
obrigada Vera